segunda-feira, 31 de maio de 2010

Espejismos

"Al perderte yo a ti

tú y yo hemos perdido:

yo porque tú eras lo que yo más amaba

y tú porque yo era la que te amaba más.

Pero de nosotros dos

tú pierdes más que yo:

porque yo podré amar a otros como te amaba a ti

pero a ti no te amarán como te amaba yo"

 

Daqui.

6 comentários:

vanessa disse...

o de berlim era a cara a ser esmurrada, o outro era nosso. e ganhou lisboa =)

Poetic GIRL disse...

Ora nem mais, nunca encontrará alguém que o ame como foi amado! lindo poema. bjs

Miguel disse...

Bonito!
Lindo mesmo!

Mas, do outro lado, alguém quer saber disto?
Não me parece...

Miguel disse...

Espero que esteja tudo bem...

Beijinho

Emma Bovary disse...

Miguel, :) tudo sobre rodas! Esse poema é muito giro, às vezes chega a ser reconfortante ver este tipo de coisas, como se elas nos entendessem mais do que aqueles que nos rodeiam. Não te digo o meu trabalho, mas digo-te que já me tirou o tempo para vir aqui! lol

Poetic, também acho. Muitos beijinhos!

Vanessa, what? lol

Miguel disse...

Ainda bem que estás viva e de boa saude..

;)

bj