domingo, 7 de setembro de 2008

Ode às mulheres que vão à casa de banho juntas


Elas são minhas, são poucas, não chegam a cinco. Mas são minhas e eu delas. Somos casadas umas com as outras, partilhamos as casas de banho (várias), os quartos, toda uma casa… Partilhamos ainda outra casa, o coração, todos os compartimentos. Temos laços frágeis, quebráveis, porque é assim que somos, frágeis, quebráveis… Mas somos fortes, imensas. Temos um mundo inabalável de segredos, sonhos, ambições, verniz, sapatos, sexo e vómito no cabelo.
Gosto tanto delas, gosto dos hábitos, das rotinas, de me arranjar para jantar e levar sabrinas na mala para poder trocar os sapatos de madrugada. Sinto falta delas.
Sinto falta de cochichar na cama, sinto falta de destruir dos pés à cabeça outras tipas só com piadas. Que bichos do outro mundo que somos. Tão perfeitas e tão cabras. Ninguém nos pode censurar… Somos os degraus de cada uma de nós. Crescemos à custa umas das outras. Enquanto vamos à casa de banho.
And you're not getting half of the picture. Literalmente.

3 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Chego aqui via Cocó na fralda e encontro-a na casa de banho. Então não há coincidências? Há ... e boas! Como encontrar este blog ainda novinho, mas a que antevejo grande futuro. Parabéns

Emma Bovary disse...

Obrigada! :)

irish blood, english heart. disse...

que descrição fantástica. Tens uma relação espectacular.

beijo. *