segunda-feira, 19 de julho de 2010

SBSR @Meco

blogsbsr

 

Vou tentar escrever o menos possível principalmente quando chegar ao Prince.

Ora bem, na sexta-feira não pude ir portanto começamos pelo Sábado. Já cheguei ao recinto tarde mas cheguei a tempo de dar uma vista de olhos em Holly Miranda e, mesmo sendo ela uma artista jovem que claramente não prima por agarrar o público, tem uma presença vocal fenomenal. Fiquei agarradíssima a ela até ao fim do concerto, é mesmo uma artista a seguir de perto.

Depois veio o Julian Casablancas, eu estava super confiante que ia ser um bom concerto, uma coisa de encher os olhos aos apreciadores mas fiquei um bocadinho desiludida. Ele é um rock star, não há duvida nenhuma, o público respeita-o imenso (The Strokes) e não precisa de se esforçar muito para o agarrar mas não esperava que se esforçasse tão pouco. Cantou lá para o meio uma música que gravou para um CD de Natal no ano passado e anunciou-a mais ou menos do género “ah e tal, não gosto muito desta música mas as pessoas parecem gostar portanto…” – numa transladação aproximada foi mais ou menos isto. E depois de cantar a última foi-se embora e pronto. Seco, sequinho. Fiquei mesmo triste porque estava expectante. Enfim…

Seguiram-se os Hot Chip e foi muito giro, não sou fã, honestamente, mas deu tempo para eu ir comer qualquer coisa. E uma bolacha americana (adorooooo).LOL Não, a sério, foi muito bem conseguido o concerto e quem gosta mesmo daquele género de música ficou satisfeito.

O melhor ficou mesmo para o fim. Os Vampire Weekend arrasaram o Meco e arredores. Meus amigos eu comi o pó que o diabo amassou naquele recinto mas amei cada minuto. Eles foram electrizantes, mesmo quem não conhecia não ficou indiferente, era impossível. Um vocalista super amável, sempre em contacto com o público que esteve sempre, sempre a saltar. Tocaram as músicas que se esperava ouvir dos dois álbuns, sem surpresas mas sem margem para dúvidas  – foram o segundo melhor concerto do festival.

No Domingo foi um inferno para chegar ao recinto, quando consegui lá chegar os The National já tinham começado. Com a conversa com os amigos nem vi muito bem o concerto mas o que vi gostei. Já sei que provavelmente eles vêm cá em nome próprio portanto não me há-de faltar a oportunidade para os ver de novo.

Quando eu em cima dizia que me ia conter quando chegasse a vez do Prince, era porque ainda estou no rescaldo do concerto e continuo extasiada. Conheço de Prince o que toda a gente conhece e não estava à espera de me ligar tanto mas assim que ele começou a actuar deu para perceber logo que estávamos a ver um senhor com muitos anos de espectáculo. Não há como não gostar de ver um verdadeiro performer capaz de prender o público como ninguém. E quando ouvimos clássicos a ser tocados por uma pessoa assim, tudo o resto é pequeno em comparação. Esteve com ele a cantar a Ana Moura, que foi também uma surpresa (ou não) e que acabou por se tornar num daqueles momentos de insuflar o peito de orgulho português (cliché, cliché) com a razão que, de facto, merece. Não é todos os dias que temos uma portuguesa a partilhar o palco com um Prince. Em suma, concertão.

Depois vieram os Empire of the Sun (que tinham até estado ao nosso lado a assistir a Prince, esse fenómeno) para levantar ainda mais poeira. Devo dizer que o que mais gostei na actuação deles foram as bailarinas, certinhas, certinhas e cheias de ritmo, adorei. J Foi um espectáculo muito giro de assistir, as músicas são dançáveis, alegres e a performance foi eficiente.

E pronto, foi isto. Espero que nunca mais tenha que voltar aquele recinto de m*rda (que o era mesmo) ainda que concorde com a tese de que o SBSR tem que ser um festival de verão mais deste género do que urbano. De qualquer forma, fica a nota para a organização  – os problemas de acesso não se podem repetir.

OOOOOOOOHHHHHHHHH GET FUNKY!!! :D

6 comentários:

Miguel disse...

Gostava de ter ido pelo Prince mas tenho pouca passiência para essas desorganizações, grandes secas, horas infidáveis em filas (ou bichas)...

Ontem fui ver Roxy Music. Uns furos abaixo do Prince, de certeza, mas bom na mesma. E sem esse sofrimento todo. Estacionamento relativamente perto, jantar perto e nas calmas e 15 minutos de caminho até ao concerto... Tudo tranquilo... como deve ser!

(e nem tive que apanhar com pó!)

Emma Bovary disse...

Oh, foi no Oeiras Sounds né? Também deve ter sido giro. :) É claro que é mais agradável do que o reboliço de um festival mas não se pode comparar. Se bem que, sim, dispensava o pó. lol

Alguém+ neste mar de gente, disse...

UAU :) mas que verdadeira "comentadeira" de eventos ehehe.

arrssousa. disse...

Ya, e eu não fui!

Anabela S. Dantas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Emma Bovary disse...

LOL. De facto, estava excitadíssima quando escrevi isto Alguém mas garanto-te que cada vez que ouço as músicas das bandas que lá passaram apetece-me voltar atrás. Gostei imenso. :)

arrssousa, em bom português, até colavas. :D