quinta-feira, 18 de março de 2010

The Lovely Bones - o veredicto

Tinha que vir aqui exprimir o meu descontentamento. Não é desilusão, é descontentamento.

Tudo o que eu senti no livro, a densidade da história, o peso das personagens e o acompanhamento que se faz das mesmas está completamente excluído do filme. Se o livro fosse uma carta de amor perdida anos e anos a fio até ser recuperada em pranto pelo dono, o filme seria um bilhete a dizer "até sempre" na porta do frigorífico.

Não é uma falha total, há muito de Peter Jackson ali (incluido um poster a anunciar os livros do Senhor dos Anéis na livraria onde a Susie vai com a avó no início do filme) mas este livro não era o Senhor dos Anéis e um "olhar sobre a paisagem" não chega para disfarçar a falta de argumento.

Bummer.

7 comentários:

Poetic GIRL disse...

Foi um dos livros que mais gostei de ler. Estou curiosa para ver o filme. Depois dou-te a minha opinião. Descubri o teu espaço hoje, gostei muito. Vou voltar... bjs

Miguel disse...

Poucas vezes, quando se lê o livro primeiro, não ficamos desiludidos.

Acho que só me aconteceu 2 vezes... vá, uma e meia!

Uma foi no "Os filhos da droga" da Christiane F, onde o filme retrata quase na perfeição o livro. Pelo menos é o que me lembro.

O meio foi o "Codigo Da Vinci" que, dada a complexidade do livro, acho que o retrata bastante aproximado.

Todos os outros ficam sempre muito aquém... É bem melhor ver o filme primeiro e ler o livro depois.

Quero ler "As palavras que nunca te direi", por mil razões, e ver o que acho...

Emma Bovary disse...

@Poetic - Obrigada, és sempre bem vinda. :) Não vás com muita expectativa, se é um dos teus livros preferidos (como eu) és capaz de ficar com a sensação de que o filme é oco.

@Miguel - Sabes que não é muito difícil que isso aconteça, quando lemos um livro acabamos por absorve-lo de uma maneira muito pessoal e cada um tem a sua. Nos filmes acabamos por ver a de outra pessoa, ou seja, ou partilhamos daquela visão ou ficamos desiludidos. O Peter Jackson é um ídolo pessoal meu :), foi ele que levou às telas o Senhor dos Anéis, um filme que (para mim) é do mais completo que há. Neste caso falhou porque a temática de The Lovely Bones tem uma componente humana bem mais densa, mais difícil de passar ao ecrã principalmente por um mestre do visual.
Eu também li e vi o Código DaVinci e, sim, está fiel... Mas Dan Brown é chapa 5, corta e cola, não tem muita ciência.. lol e pronto a minha língua solta-se com estas coisas.. lol

Miguel disse...

É isso mesmo!

Mas o que se tira de realmente daqui, a essência do que escreveste, é que a tua lingua se solta! E isso, parece-me, é sempre um detalhe a ter em conta!

;)

Bom fds

Pinkk Candy disse...

eu até li o livro em duas línguas diferentes, adorei. e penso que deve ser muito difícil transpor para um filme um livro destes.
também descobri o teu blog hoje :-)

Pinkk Candy disse...

p.s: ah não tens os followers activos, é de propósito? :)

Emma Bovary disse...

Pinkk Candy, não é de propósito. Vou ver o que se pode fazer... lol